Início » País de origem » Brasil » Almadén Riesling 2014

Almadén Riesling 2014

1421515045

Esse vinho já passou por aqui, só que era da safra 2013, volto a comentá-lo, apenas constatando que continua a ser o que era, safra após safra:

Na taça apresentou cor amarelo esverdeado.

No nariz era simples e agradável, lembrando pera, maçã e limão.

Na boca era leve e equilibrado, com boa acidez e nada fora do lugar, muito refrescante e fácil de beber. Tinha leve amargor que não incomodava. Paladar sugerindo pera e limão.

Não há vinho em torno de 10 – 15 reais melhor no mercado. Sem mais.

Siga o blog no FacebookInstagram, TwitterGoogle+ ou Tumbrl.

Diversos blogs já beberam ele e em geral concordam comigo. Confira (safra):Enoteca (sem safra específica), Escolha Vinho (2010), Mundo Vitis (2010), Sobre Notas e Vinhos (2010), Notas Etílicas (2010), Vinho para Todos (2010), ViVinhos(2010), Vinhos de Corte (2010 e 2011), Vivendo Vinhos (2011), Enóffilo (2011),Vinhos Populares (2011), Contando Vinhos (2013) Vinhos que Provo (2013) e Universo dos Vinhos (2014).

Resumo do vinho:

Nome: Almadén Riesling

Vinícola: Almadén

Região: Campanha Gaúcha, Brasil

Teor alcoólico: 11,5%

Safra: 2014

Uva: Riesling Itálico e Riesling Renano

Preço: R$ 12,90

Comprado em (mês/ano): Mundial (12/14)

Bebido com (data): Patrícia (17/01/2015)

Nota: 3 em 5 pontos.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Almadén Riesling 2014

  1. Olha, eu acho incrível tanta gente descrever este vinho como bom e equilibrado. Eu provei este da safra 2014, achei o vinho mais oco e desequilibrado que já tomei. Com acidez em excesso, sem nenhuma presença de boca, e pior, tomei uma só taça e tive dor de cabeça no dia seguinte. Deve ter muito sulfuroso nessa joça.

    • Rodrigo,

      O vinho tem seus defeitos? Sim, ele é pouco intenso, pouco persistente e apresenta um leve amargor incompatível com um vinho branco (que não chegou a me incomodar).

      Agora, considero ele um vinho simples e equilibrado sim, levando em conta sua faixa de preço, é uma opção.
      Tenho sempre uma garrafa desse vinho em casa, costumo a utilizá-lo para temperar risoto ou coisa do gênero. Já bebi ele com diferentes pessoas (mais e menos acostumadas a beber vinhos) e ele nunca desagradou.

      Acidez forte não é uma característica comum nele. Você já provou esse vinho outra vezes?

      Abraço,
      Jorge.

      • Não, foi a única vez que o provei, mas também já li outros comentários que o acharam ácido demais. Sinceramente, sendo das uvas de que é feito, eu acho razoavelmente esperado a acidez forte. Mas eu não imaginava que seria tão vazio de sabor e de volume. Por outro lado, realmente, não sei citar nenhum vinho de menos de R$15 que eu pudesse recomendar no lugar desse.

        Abraço,
        Rodrigo

  2. Rodrigo,

    Visitei seu blog, parabéns pelo trabalho! Bem interessante! Estou seguindo!
    Também não trabalho com vinhos e escrevo apenas por prazer. Esse tipo de blog que gosto de acompanhar.

    Quanto ao Almadén, lhe sugiro algo chato, que eu normalmente não gosto de fazer com vinhos que não me agradam, prove ele de novo e tire suas conclusões.
    O vinho tem realmente pouco volume e intensidade, mas sempre me pareceu além de bebível, equilibrado e refrescante, enfim uma opção a preço baixo.
    Se decidir provar de novo, peço por favor, que me retorne com suas impressões.

    Atenciosamente,
    Jorge.

    • Oi Jorge, obrigado pelo elogio ao meu blog. Da minha parte, já sigo o seu blog há alguns meses, o considero muito legal, bem escrito e consistente, além de fazer referências a vinhos interessantes. Gostei particularmente dos textos a respeito dos vinhos do Líbano.

      Eu guardo um péssimo conceito com relação ao Almadén. Lá pelo início do século, quando fui provar os primeiros vinhos, eram Almadén, e com isso simplesmente achei que vinho era uma bebida horrível. Quando tomei meu primeiro vinho francês, ainda estudante em intercâmbio na França, é que eu descobri que Almadén não era vinho.

      Apesar da minha expectativa baixíssima, o seu texto a respeito do Riesling 2013 – que além de tê-lo recomendado, citou tantos outros blogs que o recomendaram – foi que me levou a comprar uma garrafa para prová-lo. Mas não pretendo gastar meu dinheiro em outra garrafa dele. Dor de cabeça no dia seguinte, é o fim. E não é qualquer vinho que me causa isso, dá pra contar em uma mão as vezes que um vinho me causou dor de cabeça.

      Abraço,
      Rodrigo

      • Rodrigo,

        Obrigado a você também pelos elogios!

        Também me lembro de provar os Almadén quando comecei a ter idade para beber e achá-los péssimos. Quando a Miolo comprou a vinícola e manteve o preço dos vinhos baixos decidi dar uma nova chance e provei toda a linha. Os tintos são mais difíceis, mas os brancos em geral considero bebíveis.

        Enfim, está cada dia mais difícil comprar vinhos por menos de 30 reais… Só de pensar que esse valor equivale a pouco menos de 10 euros e que com 5 a 10 euros bebê-se muito bem na Europa, já bate uma tristeza…

        Abraço,
        Jorge.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s