Início » Tipo de post » Evento » II Salão de Vinhos Sud de France – RJ

II Salão de Vinhos Sud de France – RJ

Sud de France

Terça feira (01/10/13), para começar bem o mês, estive no II Salão de Vinhos Sud de France, evento incluído na agenda carioca do Festival Sud de France. O evento foi em Copacabana, mais especificamente no hotel Rio Othon Palace e ocorreu das 16:30 às 19:30 horas.

O Festival Sud de France é realizado anualmente em algumas cidades pelo mundo, nesse ano ele esteve ocorrendo em Paris, Nova Iorque, Londres, Xangai, Rio de Janeiro e São Paulo, tendo como objetivo divulgar os vinhos e a gastronomia da injustamente pouco conhecida região do Languedoc-Roussillon. O evento aqui no Rio de Janeiro foi muito bem organizado e embora o salão não fosse dos maiores, comportou muito bem o número de presentes. O horário e duração do evento me pareceram adequados e foi possível provar tudo que queríamos.

Devo confessar que não conhecia muito os vinhos do Languedoc-Roussillon e o evento foi uma ótima oportunidade para prová-los. Acabei descobrindo uma região da França que oferece vinhos de bom custo benefício (mesmo considerando os preços aqui no Brasil), elegantes, bastante frutados e ótimos para serem bebidos jovens. Minha impressão foi que, no geral, os vinhos possuíam características em comum que me pareceram bem próprias dessa região, muitos não passavam por madeira, tinham bastante fruta combinada com um gostoso apimentado na boca. Gostei bem mais dos tintos que dos brancos. Minhas impressões sobre os vinhos que eu mais gostei seguem abaixo:

Mas de Mas Picpoul de Pinet 2010: um varietal de Picpoul, com cor amarelo palha e aromas frutados, principalmente cítricos, um pouco discretos. Na boca era elegante, equilibrado, encorpado mantendo o frescor, com boa acidez e final de boca um pouco mineral. Custa R$ 89,10 no site da importadora Decanter.

Espumantes Sieur d’Arques Premiere Bulle: provei três espumantes deles, o Brut, o Rosé Brut e o Premium Brut, achei todos eles bons e para falar a verdade bem equivalentes, dessa forma, preferi o Brut que é mais barato e na taça apresentou borbulhas médias e de boa intensidade, aromas frutados e florais, com leveduras de leve. Na boca um ótimo frescor, boa intensidade, acidez nervosa, mas bem agradável e final de boca mineral. Para comentar brevemente os outros dois, o Rosé me pareceu mais delicado e o Premium mais intenso.

Chateau Cadenette Costières de Nîmes 2012: um corte de Syrah (80%) com Grenache (20%) deliciosamente sem madeira. Na taça tinha uma cor violeta bonita, com aroma simples e bastante frutado (framboesas). Na boca era macio, de médio corpo, bem equilibrado, acidez muito gostosa, com taninos bem presentes e finos, paladar bastante frutado com um leve e gostoso apimentado. Um vinho simples e muito agradável, por R$ 49,00 no site da importadora Club du Taste-Vin, considero impressionante o custo benefício!

Domaine Saint Pierre de Serjac Côtes de Thongue 2011: um corte de Grenache (60%), Carignan (25%) e Syrah (15%) que na taça tinha cor rubi, aromas simples, frutados e com um certo herbáceo. Na boca era macio, médio corpo, com taninos finos, resultando em um conjunto bem harmônico e aquele paladar bem típico da fruta combinado com um toque apimentado e aqui também um leve vegetal. Não achei preço na internet, mas durante o evento me informaram que custaria uns 45 reais, o que lhe caracteriza como um ótimo custo beneficio.

Chateau Sainte Eulalie Plaisir d’Eulalie Minervois 2011: um corte de Carignan (40%), Syrah (30%) e Grenache (30%). Na taça era rubi escuro, com aromas de amoras, pimenta e algo doce. Na boca mais uma vez muita maciez, com elegância, equilíbrio, taninos muito agradáveis, acidez deliciosa e aquele agradável paladar frutado e apimentado. E mais uma vez foi difícil acreditar no preço, R$ 65,00 no site da importadora Club du Taste-Vin.

Chateau l’Hospitalet la Reserve (não lembro a safra): um corte de Syrah, Grenache e Mourvèdre bem interessante, com aromas elegantes de frutas (cereja), baunilha, pimenta e café. Na boca mais elegância, sendo o vinho intenso, encorpado, com gostosa acidez e taninos finos fechando um conjunto bem harmônico. Achei na internet por volta de R$ 120,00.

Paul Mas Vieilles Vignes Carignan 2010: um varietal de Carignan que me fez pensar porque não haviam mais vinhos varietais dessa uva no evento. Na taça era mais claro que a grande maioria dos tintos provados, os aromas encantavam com bastante fruta, chocolate e canela. Na boca era muito macio, médio corpo, boa presença, com taninos finos e bastante equilíbrio. Pode ser comprado por R$ 70,50 na importadora Decanter e eu digo que é uma bela compra.

Chateau la Bastide Corbières Cuvée Optimée 2006: interessante vinho elaborado com Syrah (80%) e Grenache (20%). Na taça demonstrava sua idade com um halo granada de evolução. No nariz ficou claro que o envelhecimento lhe fez muito bem, madeira muito no lugar e aromas complexos ainda com bastante fruta, além de especiarias e leve toque herbáceo e terroso. Na boca era bem macio e equilibrado, com taninos finos e boa acidez. O vinho está em um ponto muito bom de ser bebido e pode ser encontrado por volta de 110 a 130 reais em sites pela internet.

Resumo do evento:

Nome: II Salão de Vinhos Sud de France

Local: Rio Othon Palace, Copacabana, Rio de Janeiro – RJ

Organização: Festival Sud de France

Data (horário): 01/10/13 (das 16:30 às 19:30 horas)

Com quem: Alexandre

Preço: gratuito (a participação era restrita a imprensa e profissionais e deveria ser solicitada por e-mail).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s